CUT divulga novas datas de mobilização contra a Reforma da Previdência
Qui, 11 de Maio de 2017 00:00

cee8a53ea0157b7ee2fded903af2892d

Com votação adiada, manifestações deverão acontecer nos dias 17 e 24 de maio

Apesar de ter sido aprovada na comissão especial da Câmara dos Deputado com um mês de atraso nesta terça-feira, dia 9, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 que trata sobre a Reforma da Previdência não tem data para ser votada pelos Deputados Federais. Com a notícia do adiamento, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais Centrais Sindicais divulgaram novas datas de mobilização para pressionar o Congresso Nacional: 17 e 24 de maio, quando haverá uma mobilização em Brasília e uma Marcha e Ocupação da capital federal, respectivamente.

Está marcado para o dia 17 um mutirão de visita ao gabinete dos Senadores e a intensificação da pressão feita pela classe trabalhadora aos representantes do povo. Depois disso, no dia 24, a intenção é ocupar Brasília contra o ataque sanguinário ao direito dos trabalhadores com caravanas de todo o Brasil.

CALENDÁRIO DE LUTA

▪ Comitiva permanente de dirigentes sindicais no Congresso Nacional para pressionar os deputados e senadores e também atividades em suas bases eleitorais para que votem contra a retirada de direitos;

▪ Atividades na base sindicais e nas ruas para continuar e aprofundar o debate com os trabalhadores e a população, sobre os efeitos negativos para a toda sociedade e para o desenvolvimento econômico e social brasileiro.

Do dia 15 ao dia 19 de maio:

▪ Ocupa Brasília: conclamamos toda a sociedade brasileira, as diversas categorias de trabalhadores do campo e da cidade, os movimentos sociais e de cultura, a ocuparem Brasília para reiterar que a população brasileira é frontalmente contra a aprovação da Reforma da previdência, da Reforma Trabalhista e de toda e qualquer retirada de direitos;

▪ Marcha para Brasília: em conjunto com as organizações sindicais e sociais de todo o país, realizar uma grande manifestação em Brasília contra a retirada de direitos.

Se isso ainda não bastar, as Centrais Sindicais assumem o compromisso de organizar um movimento ainda mais forte do que foi o 28 de abril.

Por fim, as Centrais Sindicais aqui reunidas convocam todos os Sindicatos de trabalhadores do Brasil para mobilizarem suas categorias para esse calendário de lutas.

CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil
CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros
CSP Conlutas – Central Sindical e Popular
CTB – Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil
CUT – Central Única dos Trabalhares
Força Sindical
Intersindical – Central da Classe Trabalhadora
NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores
UGT – União Geral dos Trabalhadores

  • Com informações do site da CUT.