Fachin autoriza abertura de inquérito e Temer será investigado
Qui, 18 de Maio de 2017 16:45

 

Em pronunciamento oficial presidente afirma que não renunciará ao cargo

vamos-as-ruas-pela-saida-de-temer-e-por-eleicoes-diretas 80e47f318b93f7aceaa26d0278095688

O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, autorizou abertura de inquérito para investigar o presidente ilegítimo Michel Temer, que agora é oficialmente investigado. O pedido foi feito pela Procuradoria Geral da República (PGR).

A PGR fez o pedido após Joesley Batista, dono da JBS, dizer em delação que gravou Temer aprovando pagamento de propina em troca do silêncio de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados e que cumpre pena após ser condenado pela Lava Jato.

Pela Constituição, o presidente só pode ser investigado com autorização do STF. Agora Temer será investigado porque os fatos aconteceram quando o golpista já ocupava a Presidência, em março deste ano.

Em pronunciamento, Temer nega as acusações e afirma que não renunciará a Presidência. Além disso, o presidente afirmou que o país da sinais de recuperação de sua "pior recessão econômica" após o esforço de toda a sua equipe.

Aecio é afastado da Presidência do PSDB - Após as denúncias contra Aecio Neves e seu afastamento do Senado, o senador também foi substituído na Presidência do PSDB por Carlos Sampaio.
Neves foi afastado após seu gabinete ser revistado pela Polícia Federal e a prisão de sua irmã e seu primo. O senador é investigado por pedir R$2 milhões ao presidente da JBS, Joesley Batista.