itau unibanco
Contraf-CUT retoma negociações com Itaú e cobra emprego e segurança

Carlos Cordeiro entrega ao banco a minuta específica de reivindicações

A Contraf-CUT, federações e sindicatos retomaram nesta sexta-feira (10) o processo de negociação com o Itaú Unibanco, em São Paulo. As entidades entregaram ao banco a minuta específica de reivindicações dos funcionários , que possui nove itens: emprego, remuneração, metas abusivas, saúde e condições de trabalho, segurança bancária, liberdade sindical, previdência complementar, plano de saúde e igualdade de oportunidades.

A minuta foi construída no Encontro Nacional de Dirigentes Sindicais do Itaú Unibanco, realizado nos dias 14 e 15 de dezembro, em Nazaré Paulista (SP).

A Contraf-CUT reivindicou e o banco concordou que a negociação da minuta seja feita por meio de blocos temáticos ao longo do primeiro semestre, de forma a discutir as demandas apresentadas. A primeira reunião está prevista para o final de fevereiro e as demais devem acontecer quinzenalmente. Os temas serão escolhidos previamente.

 
Dia de luta no Itaú

Na última segunda-feira, 12, ocorreu um dia de luta no Itaú.

O Sindicato dos Bancários de Guarulhos e Região realizou paralisações em 4 das principais agências do banco na base do Sindicato.

As manifestações atingiram as agências Guarulhos (046), Guarulhos Centro, Getúlio Vargas e Vila Zaira, que fecharam suas portas até às 13 h em protesto contra as demissões em decorrência da fusão das instituições Itaú e Unibanco.

Segundo Adjanete Matias, funcionária do Itaú e diretora do Sindicato, as ações contra os desmandos da direção vão continuar. "Não podemos aceitar que o banco privado mais lucrativo do país tenha uma visão tão limitada com o funcionalismo", informa. "Pressionar por metas, demitir e não oferecer condições de trabalho dignas são ações que continuarão sendo combatidas pela categoria", finaliza Adjanete.

 

 
Fim do benefício zero no antigo PAC

Está garantido pagamento de pelo menos R$ 264,42 a todos participantes do fundo de pensão do Itaú

 

São Paulo – O Sindicato conquistou em negociação com a direção do Itaú Unibanco o fim do benefício zero para participantes do antigo PAC. Está garantido a partir de agora o pagamento de pelo menos uma unidade previdenciária (R$ 264,42) por mês a título de complementação de aposentadoria a todos os beneficiários do fundo de pensão.

Cerca de quinhentas pessoas recebiam zero e outras quinhentas recebiam valores inferiores a R$ 264,42.

“É uma grande vitória do Sindicato, que vinha lutando há muitos anos pelo fim do benefício zero. Era inaceitável que uma empresa do porte do Itaú Unibanco desse nada ou mesmo valores irrisórios para participantes de um plano de aposentadoria complementar sob sua administração”, disse o diretor executivo do Sindicato André Luis Rodrigues, que também é integrante eleito do Conselho Deliberativo da Fundação Itaú Unibanco, que administra o antigo PAC.

Retroativo – André reivindicou também durante a negociação que a conquista do benefício mínimo de uma unidade previdenciária fosse retroativa a janeiro. “O banco se mostrou disposto a atender e afirmou que se não houver nenhum impedimento jurídico fará o pagamento retroativo ao início deste ano”, disse. Para tirar dúvidas, entre em contato diretamente com André, pelo 3188-5272 ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 8 de 12